segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Na nossa frente, só uma estrelinha brilhando longe e bem fraca. No meu rosto, a luz amarelada do post, no teu só a sombra dessa mesma luz. Tua mão na minha, as nossas apoiadas na minha perna, tu se inclina pra me dá um beijo e eu o recebo sem precisar fazer qualquer esforço. Carinhos no braço, cheiro no pescoço, arrepio. Sempre. Teu olhar de canto, minha vergonha. "Passa a marcha comigo?" só se não for aquela que, ironicamente, é representada pela letra R. A caminho da minha casa, ganhamos a companhia da mutação de cores no céu recém-acordado de domingo. Algumas curvas depois, alguns minutos na porta da minha casa (depois que você finalmente acerta), à espera da minha mãe e a tua presença impedindo a minha vontade de ir embora chegar, mas a porta se abre e é chegada a minha hora de ir - mesmo que a vontade ainda não.





Ah, e acho que me apaixonei.

Um comentário:

Rayanna. disse...

cada vez que entro aqui é mais difícil achar outro comentário que não "iiiiiiiiiiiiih"! ioaheoaheoih