sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Rugas

Se há quem sorria por nada, por que não posso sorrir por tudo?

Já concordei, um dia, que "(...) rir de tudo é desespero".
Hoje penso que é sabedoria. Talvez um pouquinho de loucura-essencial também.
O sorriso não precisa ser gargalhada. Pode ser o de canto-de-boca. O dos olhos. O da pele. Pode até ser amarelo, se quiser. Aquele que eu já considerei tão falso! Bichinho. Talvez ele seja assim porque sentiu vergonha e não soube como reagir ou mesmo viu alguém que não queria tanto ver, mas quis ser educado e aparecer...
Sei lá.
Penso que até as lágrimas sorriem, por estarem caindo. Afinal, que outra forma elas têm de serem vistas senão essa?
É claro que alguém pode ler tudo que escrevi, considerar baboseira e dizer que, sendo assim, a lágrima também pode ser como o sorriso e existir de qualquer e várias formas. Não seria mentira, mas, pra esse, eu diria:
Bichinho!, sorria!

3 comentários:

Priscilla Peixoto disse...

Sorrir, com certeza, é a melhor coisa que existe. ^^

Ameei o post!


Beijoo ;*

Marcos Vinnícius disse...

Lindo demais isso.

Sorri, no final.

Sarah Azevedo disse...

=)